BR Week

Uma revolução no mercado de fast-food

Marcello Farrel Silva, diretor geral do Bob’s, comenta sobre a história da rede de fast-food e revela as mudanças pelas quais a empresa passou

Por Melissa Lulio

Seria possível a existência de uma empresa de fast-food completamente conectada? O Bob’s é um case nesse sentido e, não por acaso, foi tema do painel “A experiência da loja 100% digital”, apresentado pelo diretor geral Marcello Farrel Silva. Nascido em 1952, o Bob’s trouxe a sua marca para o Brasil há décadas e apostou na praia de Copacabana para começar a operação. Ainda nos anos 1950, abriu mais de 20 pontos de venda. Após passar por outros detentores, a marca se tornou parte da BFFC, grande empresa que possui diversas marcas de fast-food. Em 2016, o Bob’s teve o faturamento de U$ 1,3 bilhão.

Silva conta que a tecnologia oferecida pela marca já está presente em todas as gerações. Nesse sentido, ele aponta que durante muito tempo o que predominou foi o produto padronizado, no setor de fast-food. Hoje, o consumidor opta pela conveniência, vive a fragmentação da audiência – algo que se manifesta no on demand, por exemplo -, insiste em experiência. No mercado em que atua, a marca enfrenta a alta concorrência – afinal, as grandes redes do segmento também estão de olhos abertos para as questões citadas.

“Já que íamos mexer na forma como lidamos com o consumidor, fizemos questão de investir na mudança de lojas; na forma como os pedidos são feitos, mudando o processo; em tecnologia”, explica. Hoje, a loja traz um ambiente mais caseiro, uma cozinha mais parecida com as dos lares das pessoas, uma tecnologia capaz de tornar o processo mais intuitivo. Outro ponto muito importante é que o redesign tornou a loja mais sustentável, com menos impacto ambiental. Além disso, os produtos têm três tamanhos: Pequeno, Médio e Grande. Além disso, os produtos contam, por exemplo, com queijo natural, novas formulações de carne e pão italiano.

Ovo Maltine

É claro que a polêmica história do “milk shake crocante” – como o Bob’s precisa se referir ao milk shake de Ovo Maltine desde que deixou de ter uma parceria com a marca – esteve na palestra. De acordo com o executivo, foi uma opção da marca não utilizar mais o tal nome. O McDonald’s assumiu a marca em questão mas, segundo o Bob’s, a qualidade do milk shake já estava associada à esta rede de fast food. Ou seja, não houve perda, apenas economia – afinal, a parceria com a marca Ovo Maltine custava caro.



X

Compartilhar artigo

Envie este artigo para um amigo


X

Preencha Este Formulário

nós queremos te conhecer melhor